Inteligência artificial

Hospital digital: 4 tendências para acompanhar no mundo pós COVID-19

Por Robô Laura - 24 de maio de 2021

É sempre melhor estar um passo à frente, não importa o setor. Mas, quem pensa no futuro, precisa estar anos luz à frente, imerso em tecnologia, minerando um grande volume de dados e se antecipando ao que está por vir. Essas são as características de um hospital digital.

É exatamente sobre isso que focamos no artigo. Você já pensou como será a relação entre médicos e pacientes e a experiência de ambos nos hospitais depois da pandemia? Para descobrir, siga a leitura.

Transformação Digital

A grande tendência para hospitais no pós-crise é a Transformação Digital. Empresas que não tinham como se defender no digital foram varridas do cenário com a pandemia, não é mesmo?

A Transformação Digital, em pleno 2021, não é mais um diferencial, mas uma obrigação. 

Sua instituição ainda não se atualizou? Abaixo alguns motivos para aplicar a Transformação Digital no seu hospital: 

  1. Reduzir custos;
  2. Otimizar processos;
  3. Atualizar os serviços;
  4. Diminuir erros operacionais;
  5. Melhorar a qualidade do serviço;
  6. Aumentar a eficiência dos sistemas.

Veja, a seguir, as principais tendências de transformação digital para acompanhar em 2021.

1 Atendimento com telemedicina

A telemedicina, sem dúvidas, conseguiu garantir seu espaço no presente e no futuro. Em plena pandemia, com a necessidade do isolamento social, essa alternativa mostrou muita eficácia. 

Agora, quem não pode sair de casa, ou não consegue encaixar uma visita ao médico por causa dos outros compromissos, não precisa deixar de se consultar.

Se por um lado era preciso evitar sair de casa, por outro, ficou evidente que se consultar com o médico por vídeo, pelo computador ou celular, também funciona.

E os pacientes gostaram da novidade. Segundo os dados compilados nesta reportagem da CNN Brasil, as grandes operadoras de saúde perceberam um forte aumento nesse tipo de demanda. Para uma das empresas, o modelo cresceu seis vezes, para outra, 15 vezes. Somente em uma delas, 56 mil teleconsultas foram realizadas.

Questionados em uma pesquisa sobre essa nova modalidade de atendimento, 55% responderam que são simpáticas à teleconsulta, ou seja, podem continuar realizando suas consultas de forma remota, mesmo depois da pandemia.

Na outra ponta da linha, os médicos estão cada vez mais confortáveis com as teleconsultas, que têm ajudado na escala e organização do atendimento.

Com essa mudança de comportamento que aparentemente veio para ficar, investir em soluções que facilitem a organização e a jornada do paciente para uma consulta de qualidade é o certo a se fazer.

2 Monitoramento a distância

O acompanhamento remoto é outra grande novidade. Um médico não pode ficar o dia todo monitorando o estado do paciente, mas um robô pode, e eles estão fazendo isso há algum tempo.

O acompanhamento em tempo integral é uma vantagem para médico e paciente e, nos próximos anos, a tendência é que o uso de aparelhos especializados em monitoramento a distância cresça ainda mais.

As melhores soluções conseguem identificar os sintomas principais, fazendo uma pré-análise, e resumindo os dados. Quando necessário, o robô encaminha o paciente para o atendimento virtual, que pode ser feito via chat ou vídeo, e o profissional de saúde recebe um compilado das informações mais importantes.

Durante a consulta, o médico consegue dedicar atenção total ao caso, incluindo seus principais achados na timeline do paciente, que pode ser visualizada ao longo de toda jornada.

Após a consulta o médico pode encaminhar o paciente para continuar o acompanhamento com o robô, caso o quadro se agrave, o médico ficará sabendo imediatamente.

3 Análise preditiva

A Inteligência Artificial possui inúmeras aplicações na área de saúde. Por isso, é impossível falar em hospital digital, sem mencionar o que os robôs estão fazendo pela medicina atualmente.

A análise preditiva é uma das grandes novidades dos últimos anos e também veio para ficar. Aplicada à saúde, a avaliação preditiva pode, por exemplo:

-Construir o perfil de saúde do paciente;

-Mapear regiões com maior incidência de determinadas patologias;

-Prever taxas de ocupação dos leitos;

-Aplicar a medicina preventiva para evitar deterioração clínica.

Essa é mais uma solução disponível na Laura que, logo nos primeiros dois anos de funcionamento, ajudou a detectar mais de 9 mil quadros alarmantes de forma antecipada.

Para se ter uma ideia, a Laura consegue antecipar em até 12 horas o alerta de deterioração clínica do paciente. Esse recurso, aliado ao monitoramento constante dos sinais vitais, permite a intervenção antecipada do médico e ajuda a salvar vidas.

4 Gestão com tecnologia

Uma gestão amparada em tecnologia também reforça as características de um hospital digital. As novas tecnologias ajudam as instituições de saúde em diversas frentes. Com a análise preditiva, por exemplo, é possível evitar danos e reduzir custos.

Os pacientes em trajetória de risco são identificados de maneira antecipada com essas ferramentas. Resultado: o time assistencial ganha mais tempo para iniciar a gestão do cuidado.

Um dos recursos mais interessantes é a triagem virtual, capaz de tirar as principais dúvidas do paciente e mostrar, em tempo real, a previsão de demanda. A solução pode atuar de forma integrada a sistemas de monitoramento do paciente, auxiliando o time assistencial na triagem presencial e classificando pacientes em quadros mais críticos.

E você, vai tornar seu hospital digital e atualizado? Continue acompanhando nosso blog e encontre mais novidades para desenvolver sua instituição.

Materiais premium

Conteúdos mais lidos